Politécnico de Setúbal acolhe primeiro projeto de investigação via Empowered Startups

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) celebrou recentemente o primeiro contrato para um projeto de investigação de investimento estrangeiro, no âmbito do acordo de cooperação estabelecido com a incubadora multinacional Empowered Startups.

Esta ideia de negócio inovadora, promovida por Jennifer Wade, empreendedora norte-americana, visa investigar e desenvolver mecanismos de medida padrão, através dos quais as empresas poderão avaliar o impacto ambiental das respetivas cadeias de abastecimento.

Inscrito nos princípios do chamado Comércio Verde, o projeto chega a Portugal através do IPS, que “mobiliza para o efeito uma equipa multidisciplinar de investigadores, nomeadamente das áreas de Logística, Sustentabilidade e Ciência de Dados, para apoio à promotora no desenvolvimento desta solução inovadora para avaliação da pegada de carbono empresarial ao longo do tempo”, refere o politécnico.

Jennifer Wade, presidente da consultora Embrava Group, é “uma empresária com vasta experiência na área do comércio global, o que permitirá que este projeto de investigação aborde os desafios empresariais atuais e futuros, podendo, em simultâneo, contribuir para o desenho de políticas internacionais neste domínio”, adianta o IPS.

Este é o primeiro projeto resultante da cooperação científica e técnica entre o IPS e a Empowered Startups, que opera em Portugal como intermediária entre empresários estrangeiros que pretendam investir no país e as instituições de Ensino Superior mais compatíveis, conforme as suas áreas de investigação de excelência, acompanhando as ideias de negócio daí resultantes por um período de três anos.

“Alinhado com a sua estratégia de internacionalização e compromisso com a sustentabilidade, este projeto permitirá ao IPS contribuir para o desenvolvimento regional e global, aliando o conhecimento produzido internamente com a expertise de parceiros do setor industrial”, conclui.