Júri do concurso das Marchas de Setúbal acusa autor da música dos Ídolos da Praça de plágio mas coletividade nega

O júri do concurso das Marchas Populares de Setúbal acusa o autor da música da marcha Núcleo Recreativo e Desportivo Ídolos da Praça, Duarte Zacarias, de plágio da secção instrumental da marcha de 2012 da mesma coletividade, mas esta defende-se.

Em comunicado, emitido pelo município de Setúbal, com os vencedores do concurso e nas diferentes categorias, é referido que “o Núcleo Recreativo e Desportivo Ídolos da Praça sofreu uma penalização na categoria de música por plágio da secção instrumental da marcha de 2012 da mesma coletividade na introdução da apresentação deste ano”. Recorde-se que o autor da música da marcha dos Ídolos da Praça de 2012 é Artur Jordão “Os festejos dos Santos Populares”, cuja letra é de Idaliano Batista.

De referir que o júri responsável pela área da música foi Ana Tomás. A mesma foi alertada para esta situação através de uma carta de Artur Jordão, uma semana depois do desfile na avenida Luísa Todi. “Apesar de eu ter estado ausente das marchas na avenida (por doença da minha esposa), fui informado por terceiros e posteriormente pelo Idaliano Batista (autor da letra deste ano), de que a marcha dos Ídolos da Praça deste ano tem 8 compassos (apesar de não serem repetidos), iguais à minha marcha dos Ídolos da Praça de 2012, que por coincidência os autores são os mesmos (Idaliano & Jordão)”, refere Artur Jordão.

“Atenção que não estou a afirmar que é um plágio, mas que tem notas iguais, lá isso tem. Portanto os autores acham de bom tom, avisar o júri da música no que diz respeito a este pormenor”, refere ainda a missiva de Artur Jordão.

Perante esta polémica, o presidente da direção Núcleo Recreativo e Desportivo Ídolos da Praça, Bruno Vigário, esclarece, em comunicado, datado de 24 de junho, que “foi surpreendido na madrugada de domingo aquando do momento da publicação nas redes sociais do município de Setúbal das classificações do concurso das Marchas Populares de Setúbal, que a nossa coletividade sofreu uma penalização na categoria da música por plágio da secção instrumental da nossa marcha de 2012 na introdução do presente ano”.

Bruno Vigário sublinha que “a direção desta coletividade considera de extrema importância clarificar junto do júri do concurso tal acusação de ‘plágio’ criando assim alarmismos e colocar em causa o bom nome do nosso compositor Duarte Zacarias e do respeitado Núcleo Recreativo e Desportivo Ídolos da Praça”.

“Esclarecemos os nossos associados e órgãos de comunicação social que, a nossa música 2024 por coincidência pode até ter 4 compassos iguais à música de 2012 embora que sejam repetidos. O que para ser considerado plágio seriam 8 compassos consecutivos”, afirma Bruno Vigário.

“Estamos inteiramente convictos que o júri irá clarificar e corrigir esta situação e tudo faremos para lutar pelos direitos e pelo nome do NRD Ídolos da Praça e que seja honrado o trabalho de todos aqueles que contribuíram fortemente para o nosso extraordinário regresso ao concurso das Marchas Populares de Setúbal, certame esse que somos reconhecidos pelos trabalhos do passado e recentemente desta edição 2024”, acrescenta o presidente da coletividade.

“Aguardamos com expetativa e com confiança que a situação seja resolvida por quem de direito com seriedade e clareza”, conclui.